terça-feira, 3 de agosto de 2010

Sheraton Hostel

As my university is paying for my expenses here in Toronto so I can present an article in a Conference that we wrote about a flight simulator we developed there, it's the first time in 3 years after visiting US for 6 times, Canada 3 times, and other 11 countries, that I stay in a Hotel without the "s" like this.
All I want to say is that it's been crazy, what a weird place!
I first arrived in the Sheraton "hostel" and could not believe there was a line for the check in, and there was nobody to talk with. Everybody dressed up with serious expression in their faces. That after paying absurdly 20 dollars for the Sheraton Shuttle!
I came up to my room, 27 floors later and pressurized ear, and I saw my room, was almost going back to the reception to verify if they had given me the right one, when I remember I would have to wait in line...
I thought I had checked in in a sleeping room not in a living room. I could not find my bed when I realized that that huuuuge white puffy square was the surface the guest might use to sleep. This is not a bed for humans... Probably nor for elephants! If I was a little fatter I would think that giving me that sized bed was an offense, really! Inside the room there were 2 doors, which I was really afraid of opening and figuring out people sleeping in another rooms, but very slowly, I opened the first one and... There was a bathroom! What a situation! They put it in my room!?! What if somebody need to pee at night? They would have to knock my door, which closes automatically! What a situation!!! For some reason, nobody in that floor wanted to pee that night! Weird! The second door was the laundry and bank area. I just thought it was quite little for the size of the hostel, but at that time the iron was turned off and nobody was working in the area, it was just weird that there was any clothes hanged in the hangers... Just a piece of paper, which was sort of advertising some clothes and prices. Not too bed for the style of that Hostel:
Dress shirt: $10
Pants/Jeans: $11
Socks (pair): $5.25
Undershorts: $6
Pajamas: $10
Off course nobody was working in the bank at that time either... (Just thought that their safe-deposit-box was too little for that hostel too!)
When I laid down in bed and saw the size of the tv, all was explained! They've put me in the Home-theater room, that could explain the size of the bed, the bathroom, and the size of the tv, and also the price of the available pay-per-view movies. U$12! Not too bed if 8 or more people came to split the bill, then I waited, and waited, and waited and slept. I woke up feeling completed lost in that elephant-sized bed with lots of white pillows. When I oriented myself I saw a little couch which, (with my couchsurfer spirit and pride) I regret did not sleep that night. Unhappily, nobody had showed up to the movie!
When I opened the window, there was any trees, any walking trail. Instead, very high building and more building and a very weird narrow and high tower. If the Jetsons have ever really existed, that would be their home for sure! Unfortunately I did not see any shuttle flying around yet...
Then I came to write in this blog, and I was assaulted!!! They charged me U$16.30 to use the internet for 24 hours!!!!
Well, need to go back to practice my speech... "Good-afternoon ladies and gentleman..."

...

Como a UFMG está pagando minhas despesas aqui em Toronto para que eu possa apresentar um artigo que escrevemos sobre um simulador de voo que desenvolvemos por lá, é a primeira vez em três anos depois de visitar EUA por 6 vezes, Canadá 3 vezes, e outros 11 países, que eu fico em um hotel como esse.
Só sei dizer que isso aqui é uma loucura, tudo muito estranho !
Eu cheguei no Sheraton e não podia acreditar que havia uma fila para o check in, e não tinha ninguém pra conversar. Todos de terno com expressão séria no rosto. Isso depois de pagar 20 absurdos dólares para o ônibus do Sheraton me trazer do Aeroporto.
27 andares e uma pressão no ouvido depois, cheguei no meu quarto, e estava quase voltando para a recepção para verificar se eles tinha me dado o quarto certo, quando lembrei que eu teria que esperar na fila .. .
Eu pensei que tinham reservado um quarto de dormir, não uma sala de estar. Eu não conseguia encontrar minha cama quando eu percebi que aquela imensa superfície macia pudesse ser o que eu estava procurando. Sinceramente, isso não é uma cama para os seres humanos ... Provavelmente, nem para os elefantes! Se eu fosse um pouco mais gordo acho que me sentiria ofendido se tivessem me dado aquela cama. Dentro do quarto tinha duas portas, que eu estava com muito medo de abrir e descobrir pessoas dormindo em outro quarto, mas muito lentamente, a abri e ... Lá estava o banheiro! Que situação! Eles colocaram no meu quarto!?! E se alguém precisasse fazer xixi de noite? Eles teriam que bater a minha porta, que fecha automaticamente! Que situação! Por alguma razão, ninguém naquele andar quis fazer xixi aquela noite! Muito estranho! A segunda porta era a lavanderia e área bancária. Só pensei que era muito pequeno pro tamanho do Hotel, mas naquela horao o ferro de passar estava desligado e não havia ninguém trabalhando na área, só achei esquisito não haver nenhuma roupa pendurada no cabide ... Apenas um pedaço de papel, que era uma espécie de propaganda de roupas e preços. O que não era tão caro pro estilo do Hotel:
Camisa: 10
dólares
Calças / Jeans: 11 dólares
Meia (par): $ 5,25
Cueca: US $ 6
Pijama: US $ 10
E também não tinha ninguém trabalhando no banco naquela hora... (Mas também achei o cofre muito pequeno pro tamanho do Hotel...)
Quando deitei na cama e vi o tamanho da TV, estava tudo explicado! Eles me colocaram na sala de cinema, isso explicaria o tamanho da cama, do banheiro, e da tv, e também o preço dos filmes disponíveis pay-per-view. U $ 12! O que não seria tão caro se 8 pessoas ou mais viessem dividir a conta, então eu esperei, esperei, esperei e dormi. Eu acordei me sentindo perdido naquela cama de tamanho elefantíaco com todos aqueles travesseiros brancos. Quando consegui me orientar, vi um pequeno sofá que (com o meu espírito e orgulho de CouchSurfer) lamentei não ter dormido naquela noite. Infelizmente, ninguém apareceu para o filme!
Quando eu abri a janela, não havia nenhuma árvore. Em vez disso, muitos prédios, um mais alto que o outro. E uma estranha torre que se os Jetsons tivessem algum dia existido, seria a casa deles com certeza! Infelizmente não vi nenhuma nave espacial voando por aí ainda ...
Quando cheguei pra escrever esse blog, quase fui assaltado! Eles me cobraram, U $ 16,30 para usar a internet por 24 horas!!
Bem, preciso voltar a treinar pro meu discurso... "Boa-tarde, senhoras e senhores ..."

quarta-feira, 28 de julho de 2010

United States Summer 2010

Voar. Queria que essa fosse a primeira palavra do meu blog. Eu tanto sonhei com esse verbo, que agora ele está começando a fazer parte da minha rotina diária. Pode ser o primeiro passo, mas está sendo um dos passos mais significantes e espetaculares da minha vida! Estou aprendendo a pilotar em um Cessna 172, com meu amigo Felipe, o que faz que eu ou ele esteja sempre aproveitando as liçoes e a paisagem do assento traseiro enquanto o outro está em comando. Voar sobre a área de Seattle é uma das experiências mais lindas que um piloto pode ter. Essa área é toda banhada por canais de águas do Pacíficos, rios e lagos. E de todos os lugares se avistam as cadeias de montanhas nevadas que aparecem como pintura na paisagem. O ponto mais alto é um majestoso vulcão, Mt Rainier, que deslumbra com sua altura, brilho e perfeito cone. Estou aprendendo a voar em uma excelente escola chamada Wings Aloft, situada no aeroporto Boeing Field, que como o nome indica, é desse aereporto que decolam a maioria dos primeiros voos dos grandes boeings. No meu primeiro dia de voo, enquanto eu fazia o checklist, vi decolar na minha frente o novo e maior cargueiro 747-800, e logo depois a decolagem do 787 Dreamliner, o mais novo e moderno avião de passageiros do mundo. Mesmo estando mais perto como nunca desses aviões, é de impressionar o silêncio com que decolam com aquelas turbinas! Entre um voo e outro vi o aquecimento (e como esquenta!) e decolagem do supersônico T-38 da Força Aérea americana. E depois tive que esperar na fila pra um pouso de um hércules C130... Rotina básica! A movimentação do aeroporto é intensa, cheia de novidades. Outro dia vi o avião da turnê do U2, fora outros aviões incríveis. O mais sensacional é dividir o rádio com os pilotos dessas máquinas. Como o aeroporto tem duas pistas, hoje eu pousei quase ao lado de um Cargueiro 737. Fui informado pela torre de controle pra ter cautela com o arrasto que esses bichos induzem... Aliás desafio maior do que pilotar pra mim está sendo acompanhar toda a comunicação entre a torre de controle , os aviões no trafego , e eu mesmo. Mas dominar isso é fundamental pro meu primeiro voo solo, que não deve tardar muito... Tenho muito mais coisas pra compartilhar, mas a consciência fala mais alto e tenho que voltar a me preparar para a Conferência em Toronto, Canadá onde vou apresentar o trabalho do Simulador de voo da UFMG.

.....

To Fly. I wanted this was the first word of my blog. I have dreamed for so long with this verb, that now it's stating to be part of my daily routine. Can be the first step, but it's one of the most significant steps of my life! I'm learning to fly in a Cessna 172 with my friend Felipe, what makes me or him always take advantage of the lessons and the landscape from the back seat while the other is in command. Flying over the Seattle area is one of the most beautiful experience that a pilot can have. This whole area is surrounded by channels of the Pacific waters, rivers and lakes. And from everywhere one sees the cascades of snowy mountains that appear as painting the landscape. The highest point is a majestic volcano, Mt Rainier, which dazzles with it's height, brightness and perfect cone. I'm learning to fly in an excellent school called Wings Aloft, located at Boeing Field airport, as the name indicates, it's from this airport where most of the first flights of the big Boeings take of. On my first day of flight, as I did the checklist, the new and improved 747-800 freighter took of in my front, and little later the 787 Dreamliner, the most modern airliner in the world.Even if I'm closer than ever from these aircrafts, it impresses thesilence with which they take off with those turbines! Between one flight and another I saw theheating (It's hot!!) and takeoff of the supersonic T-38 from U.S. Air Force. And then had to wait in line for the landing of a Hercules C130 ... Basic routine! The movement of the airport is intense, full of novelties. Another day I saw an airplane from the U2 tour, and other amazing aircrafts. It's pretty nice to share the radio with the pilots of these machines. Since the airport has two runways, today I almost landed beside a 737 freighter. I was informed by the control tower to be careful with the drag that these machines induces ... A greater challenge than piloting for me is to handle with all communications between the control tower, aircrafts in the traffic, and myself. But mastering it is essential to my first solo flight, which should not take too long ... I have more things to share, but the conscience speaks louder and have to go back to get ready for the conference I go in Toronto next week where I will introduce the work of the flight simulator from my university - UFMG.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Europa

Europe June 2010

Como eu queria que cada um de vocês, estivesse onde estou agora e sentisse a experiência que estou tendo. É meio dia e estou num trem indo de Freiburg, Alemanha à Luzern, Suíça. Ainda eram 4 da manha no Brasil, quando liguei pra minha prima na Suiça e de surpresa e improviso perguntei se podia visitá-la. São apenas 2 hrs de trem, não tinha idéia de que estaria tão perto dela!A paisagem passa a altas velocidades enquanto campos de cultivo de morango se transformam em campos de trigo que se tornam flores vermelhas, que se transformam em florestas de árvores gigantescas, assim, num estalar de dedos, quase que por encanto. O tempo tem estado maravilhoso com temperaturas beirando os 30 graus e dias longos que escurecem às 21:30. Cada dia que passo aqui, parecem que passaram 2 inteiros de tanto que faço, vejo, conheço.

Estava tão cansado adiantando as coisas da faculdade antes de vir que assim que o avião decolou no Brasil, eu adormeci. Atravessar o Atlântico foi literalmente um piscar de olhos, quando acordei pelo carrinho de refeições, já estávamos sobrevoando algumas ilhas portuguesas, e uma hora depois pousávamos em Lisboa. Ali passei uma linda tarde em Baixa-chiado. Muitos turistas lotavam aquelas ruas de arquitetura invejável. Embaixo de uma grande árvore e com vista para o Tejo e o Oceano Atlântico, fiquei conversando com uma linda portuguesa por algumas horas, e rindo das diferenças idiomáticas.

A Alemanha tem me impressionado muito, todo o lugar que vou e pessoas que conheço têm sido completamente diferentes do que eu tinha em mente. As cidades são incrivelmente verdes e claro, muito limpas. Talvez o clima ótimo tenha alterado o estado de espírito dos alemães, pois as ruas estão cheias de velhinhos caminhando ou andando de bicicleta, crianças brincando com os cachorros e simplesmente muita gente loira de olhos azuis com um sorriso estampado no rosto. Hoje quando ia da casa da minha amiga Kaya pra estação de trem caminhando fui testando os alemães, perguntando a direção da estação pra ir treinando meu escasso alemão e pra confirmar que a maioria tinha muita boa vontade em ajudar e ser útil. O final de semana passei entre Munique e Nuremberga com Matti, seus amigos e família. Em Munique, quase fui surfar no rio Eisbar, que significa barra de gelo. E por não ter a roupa de neoprene, pra proteger do frio congelante da água, só pude ficar admirando. De noite acampamos em uma antiga e linda “zona rural” para no dia seguinte caminharmos por entre florestas e serras onde iríamos escalar e andar de corda bamba. Freiburg é uma das cidades mais lindas que já conheci. Suas ruas são de pedras com um riacho de água cristalina seguindo ao lado de quase todas as ruas no centro da cidade. As árvores mais uma vez são frondosas, e as construções antigas, porém conservadas, tipicamente alemãs. As bicicletas dominam a cidade. É o principal meio de transporte, mesmo com neve no inverno, segundo Kaya. Bem no meio da cidade existe uma serra onde no topo se tem uma vista incrível da cidade com as árvores competindo em altura com os telhados altos e inclinados. Durante a subida, fomos comendo morangos que a Kaya encontrava no caminho...

...

As bandeiras vermelhas com a cruz branca Suícas já estão surgindo na paisagem , e nesse meio tempo já ficou também pra trás um castelo, lindos lagos e muitas montanhas esverdeadas, , as vaquinhas estão surgindo aos montes agora. Será que elas são suficientes pra gerar o leite de tantos chocolates Suícos no mundo? E entre aquele céu azul e esses campos verdes parece que os Alpes brancos, ainda com neve, foram pintados na paisagem... Vou parar de escrever agora, não posso perder isso aqui não...

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Um pulo em Cuba

Cuba April/May 2010


Mais de uma vez fui perguntado: Por que cuba? Pra mim sempre foi um
país intrigante, mas a verdadeira resposta viria como sempre na
"bagagem" de volta pra casa. Cuba é o único país comunista nas
américas e cuja revolução dura mais tempo. É um país cujas construções
desmoronam e carrões americanos de 40 e 50 despencam nas ruas, mas é
também um verdadeiro paraíso no mar do Caribe quando se vê suas prais
de areias branquinhas, coqueirais de sonhos e mares azul-esverdeados.
A população é muito educada e animada. As ruas são repletas de gente:
Homens gambiarrando seus carros, crianças pulando, correndo,
brincando, jovens jogando beisebol e senhoras fofocando. Apesar das
dificuldades eles levam a ilha a um ritmo muito animado. Em Habana
Vieja, em várias esquinas e restaurantes, verdadeiros artistas fazem
os visitantes arrepiarem com a energia com que cantam, dançam e tocam
seus instrumentos. Vivi intensamente o contraste de sua política. No
dia 1o de Maio, Dia dos Trabalhadores, acompanhei 800 mil pessoas num
desfile que percorria a Praça da Revolução, onde saudavam Raul Castro
e davam vivas à Che, Fidel e à Revolução. No mesmo dia, encontrei com
os únicos jovens que representam a resistência ao governo. Fui na casa
do cantor Gorki Aguila, que já foi preso duas vezes, e lá encontrei
com Lia Villares cujo tênis -com os escritos "Abajo Fidel" - está
estampado na capa da veja de 10 de Abril. Lia se impressionou ao se
ver na revista que eu trouxe (Veja foi muito desonesta ao publicar sua
imagem e texto da forma que foi divulgado. Ela está com medo das
autoridades e disse que nunca mais daria uma entrevista a ninguém.)
Quase todos os cubanos não têm acesso a internet. Há porém nos hotéis
ao preço de U$7/hora, impraticáveis para os cubanos (Um médico ganha
em torno de U$25 POR MÊS). Os únicos 4 canais da TV são controlados e
censurados. Tive a "oportunidade" de contar como novidade a uma mulher
formada o caos aéreo europeu causado por um vulcão, e explicar o que
seria Mc Donals e um shopping.
Além de Havana, tive a oportunidade de viajar para uma zona rural,
Viñales. Cavalguei durante toda uma tarde em lindos vales onde se
planta tabaco e aprendi como se faz o tradicional charuto cubano.
Segue algumas fotos. Mas outras imagens só ficam na memória... (como
ver as malas dos passageiros serem transportadas por uma camionetona
antiga e antiquada dos aviões para o terminal do aeroporto, hehe)
A experiência de ver tantos contrastes foi única. Essa verdadeira aula
de geografia com lições e amizades que podem durar toda uma vida, me
responderam porque ir a Cuba, e seguir viajando...

( )'s
Gustavo Junqueira

Link da reportagem de Veja:
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/cuba-juventude-rebelde/

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Deserto de Atacama - Salar de Uyuni

Peru Jan 2010


Estou no deserto do Atacama em San Pedro do Atacama, Chile. Cheguei essa manhã do litoral do Pacifico, Arica. Aqui é um vilarejo, quase um oásis no meio do deserto, com árvores e passarinhos cantando o tempo todo. Eles parecem celebrar a oportunidade de um verde de uma árvore ou o frescor de uma água. Devem saber que isso é raro por aqui... todas as construções são simples, feitas de pedras vulcânicas aparentemente, com barro. Ao redor desse vilarejo parece que vemos uma grande pintura rupestre, rodeada por vulcões e serras com cores avermelhadas. Amanhã, começaremos a cruzar o deserto com um jipe por 3 dias até chegar ao salar de uyuni, na Bolivia. Passaremos por vulcões, águas termais, geisers, piscinas verdes naturais, deserto de sal etc... Mochileiros que encontramos na Bolivia e no Peru dizem que é um dos passeios mais belos do mundo, ''a ber a ber`` como dizem os peruanos.

Hoje e o décimo terceiro dia da nossa jornada, e já cruzamos 3 países em muitos quilômetros de ônibus e trem. A maioria das noites estamos passando em ônibus. E nesse tempo já conhecemos santa cruz de la sierra, la paz, copacabana, cuzco, aguas calientes, Machu Picchu, Arequipa, Tacna e Arica. Machu Picchu, mesmo sendo minha segunda ida me surpreendeu, subimos por trilhas incas uma montanha chamada Waina Picchu que se avista todo o vale sagrado e as ruinas de machu picchu. Para chegar ate aguas calientes e economizar no trem pegamos um ``ônibus`` que passava por estrada que beirava precipícios e cachoeiras. A paisagem era inesquecível e o motorista merecia aplauso quando aparecia outro carro vindo na direção oposta e tinha que fazer muitas manobras pra seguir a viagem. Chegamos ate a base das montanhas de machu picchu onde por mais 11 lindos km seguimos caminhando pelos trilhos de trem passando por pontes sobre rios bem agitados para chegar ate o o povoado de aguas calientes. Todos vocês deveriam um dia conhecer aquele lugar. É de tirar o fôlego!!!

Mas a grande surpresa foi o trekking de sábado. As 3 da manha saímos de Arequipa em direção as cordilheiras andinas na parte que chamam de canion de colca. E por la que dizem que o gelo derrete e nasce o rio amazonas. O ônibus nos deixou a mais de 4 mil metros de altitude as 10 da manha, e começamos a caminhar com um guia local, pessoa muuuito bacana e simples, pelos vales do cânion. Pra quem não sabe Cânion de colca e o maior cânion do mundo com mais de 4 mil metros de altitute em sua maior parte!!!! Começamos a caminhada do topo onde a mais de mil metros abaixo avistamos um oásis ao lado de onde passava o rio com arvores e verdes e piscinas que se destacava naquela paisagem desértica. 4 horas de caminhada depois chegamos a um povoado onde em um ambiente familiar almoçamos muito bem sopa, carne de alpaca e chá de coca. Tudo è muito tranquilo e é incrível como eles utilizam os terrenos ingrimes para o cultivos de suas plantações e criação de animais como llamas, alpaca e porcos, tudo é cuidadosamente cercado por meio metro de muros de pedras sobre pedra, sem massa entre elas. Tudo numa tranquilidade assustadora, parece cenas de filme, paisagens cinematográficas com as chollas levando suas crias ou animais e ou comidas em suas sacolas de todas as cores pelas costas, os senhores e seus fieis burricos que nos cumprimentavam em quechua ou espanhol... Mais 4 horas de caminhada depois chegamos na base da cadeia. Por ambos lados cercados pelos cânions de mais de mil metros altitude, é um verdadeiro oásis. O lugar que nos hospedamos chamava paraiso, tinhas cascatas e piscinas de águas naturais que não eram geladas devido a provavelmente a região ser ricas por vulcões, os quartos eram de pedra, teto de palha e chão de terra batida, não havia eletricidade. Banheiros em cabines la fora, me fez lembrar onde você deve ter nascido pai. Jantamos com luz de velas . Muitas palmeiras deixavam o lugar com um aspecto realmente paradisíaco! As 4 da manha do dia seguinte acordamos para a subida do cânion. Todo caminho pra cima com mochilas nas costas não era nada com o que a paisagem nos oferecia. Chegamos em uma comunidade chamada de cabanaconde onde tudo muito bem arrumado com suas pedras, era também cercado pela aquela paisagem das cordilheiras andinas. Ali almoçamos e caminhamos por campos de plantações de milho e etc ate onde o ônibus nos buscou para fechar o passeio com chave de ouro em piscinas termais de temp de aprox 40 graus. Uau!!! Foi um final de semana inesquecível com contatos e aprendizagens com trekkers de todo o mundo e um guia que apesar das simples origens e da falta de oportunidade na vida conhecia sobre pessoas e lugares de todo o mundo e podia arranhar aprox seus 5 idiomas... Para efeito de curiosidade o guia particular para nós 5, alojamentos, almoço, jantar, cafe da manha, banhos nas piscinas, 12 horas de ônibus saiu por aprox 50 reais. O aprendizado de tudo aquilo, realmente não tem preço!!!

Amanha sera mais um dia de surpresas. Definitivamente nenhum telefone muito menos internet por aquelas bandas...
Espero que tudo esteja bem. Saudade de todos vcs!!!

As fotos do deserto de Atacama e do incrível e surreal Salar de Uyuni, falam por si:
Desierto de Atacama / Salar de Uyuni (Chile/Bolivia) Jan 2010