quarta-feira, 5 de maio de 2010

Um pulo em Cuba

Cuba April/May 2010


Mais de uma vez fui perguntado: Por que cuba? Pra mim sempre foi um
país intrigante, mas a verdadeira resposta viria como sempre na
"bagagem" de volta pra casa. Cuba é o único país comunista nas
américas e cuja revolução dura mais tempo. É um país cujas construções
desmoronam e carrões americanos de 40 e 50 despencam nas ruas, mas é
também um verdadeiro paraíso no mar do Caribe quando se vê suas prais
de areias branquinhas, coqueirais de sonhos e mares azul-esverdeados.
A população é muito educada e animada. As ruas são repletas de gente:
Homens gambiarrando seus carros, crianças pulando, correndo,
brincando, jovens jogando beisebol e senhoras fofocando. Apesar das
dificuldades eles levam a ilha a um ritmo muito animado. Em Habana
Vieja, em várias esquinas e restaurantes, verdadeiros artistas fazem
os visitantes arrepiarem com a energia com que cantam, dançam e tocam
seus instrumentos. Vivi intensamente o contraste de sua política. No
dia 1o de Maio, Dia dos Trabalhadores, acompanhei 800 mil pessoas num
desfile que percorria a Praça da Revolução, onde saudavam Raul Castro
e davam vivas à Che, Fidel e à Revolução. No mesmo dia, encontrei com
os únicos jovens que representam a resistência ao governo. Fui na casa
do cantor Gorki Aguila, que já foi preso duas vezes, e lá encontrei
com Lia Villares cujo tênis -com os escritos "Abajo Fidel" - está
estampado na capa da veja de 10 de Abril. Lia se impressionou ao se
ver na revista que eu trouxe (Veja foi muito desonesta ao publicar sua
imagem e texto da forma que foi divulgado. Ela está com medo das
autoridades e disse que nunca mais daria uma entrevista a ninguém.)
Quase todos os cubanos não têm acesso a internet. Há porém nos hotéis
ao preço de U$7/hora, impraticáveis para os cubanos (Um médico ganha
em torno de U$25 POR MÊS). Os únicos 4 canais da TV são controlados e
censurados. Tive a "oportunidade" de contar como novidade a uma mulher
formada o caos aéreo europeu causado por um vulcão, e explicar o que
seria Mc Donals e um shopping.
Além de Havana, tive a oportunidade de viajar para uma zona rural,
Viñales. Cavalguei durante toda uma tarde em lindos vales onde se
planta tabaco e aprendi como se faz o tradicional charuto cubano.
Segue algumas fotos. Mas outras imagens só ficam na memória... (como
ver as malas dos passageiros serem transportadas por uma camionetona
antiga e antiquada dos aviões para o terminal do aeroporto, hehe)
A experiência de ver tantos contrastes foi única. Essa verdadeira aula
de geografia com lições e amizades que podem durar toda uma vida, me
responderam porque ir a Cuba, e seguir viajando...

( )'s
Gustavo Junqueira

Link da reportagem de Veja:
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/cuba-juventude-rebelde/

Nenhum comentário:

Postar um comentário