quinta-feira, 17 de março de 2011

Quer uma carona pra LA? -Cara, você ta de carro aqui? -Não, to de avião...

Las Vegas - Grand Canyon


Voar, voar e voar. Essa é minha meta para os próximos anos. Como piloto nada adianta a licença sem a experiência, então só me resta voar. Estou no sul dos EUA e a idéia é voar para o norte, Seattle, onde estarei em treinamento pra voar apenas com instrumentos, antes de começar a "navegar" os céus das américas do norte, central e do sul para enfim chegar no Brasil. Seattle tem tido chuvas por um bom tempo, e por isso decidi fazer um pequeno desvio no roteiro. Essa semana fui voando solo de Los Angeles até Las Vegas. Com o motor do cessninha zunindo a um pouco mais de 200km/h cheguei ao destino em 2 horas. Atravessando a cadeia de montanhas ao norte de Los Angeles, a paisagem muda drasticamente, de morros esverdeados e altamente povoados para um grande deserto, chamado deserto de Mojave. Grande parte do deserto tem o espaço aéreo restrito, tive que ficar atento para não voar onde não devia e talvez ser interceptado por caças. As duas horas passaram num estalo e logo vi um paliteiro surgindo naquela paisagem desértica. Pouso autorizado, estava em Las Vegas! Com uma mochila nas costas, e uma bicicleta na mão, na recepção para pilotos pude perceber os olhares de quem pergunta: "Esse menino veio pilotando um avião??" E os mesmos olhares quando dobrei minha bicicleta e coloquei no transporte gratuito que o aeroporto oferece para pilotos. Detalhe que era uma limosine...
Conheci Las Vegas pedalando, a cidade é basicamente uma avenida. Tudo se encontra na Las Vegas Boulevard: Paris, Veneza, a grande pirâmide do Egito, apresentações de águas dançantes (é realmente de arrepiar), Cirque du Soleil, Blue Man Group, Celine Dion, Cher e claro, centenas de cassinos.
No albergue onde me hospedei, conheci um israelense que iria pra Los Angeles aquela semana, como eu tinha que voltar lá, ofereci uma carona. -Cara, você ta de carro aqui? -Não, to de avião, disse. "You what??" Ele não podia acreditar. Eu mesmo ainda não acredito, tenho que me beliscar quando estou voando. Mas o beliscão foi mais forte quando sobrevoei o Grand Canyon, e doeu. Era verdade, estava sobrevoando o Grand Canyon, com o israelense ao meu lado de testemunha. As fotos estão aí para comprovar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário