quarta-feira, 20 de abril de 2011

Levando uma velhinha americana pra um passeio pelo Brasil

Brasil Abril 2011


Imagine-se presenciando duas guerras mundiais, ver praticamente um século inteiro passar e junto partindo seus dois maridos, a maior parte de sua família e de seus amigos. Seu nome é Betty Johnson e já não tem mais o privilégio da visão ou de uma simples caminhada. Reclamar não consta em seu vocabulário, tenho a impressão de que nem saiba o que seja isso. Ela tem o dom de viver. Acredita que o corpo seja uma carcaça temporária e ela acredita tanto na força do pensamento/mente que NUNCA vai ao médico ou toma um remédio sequer, será mera sorte e coincidência que tenha chegado aos 97 anos com tanto carisma?? Ela é uma fonte de sabedoria. Eu já colecionei algumas horas de bate-papo com ela e tive lições que dificilmente acharia num livro. Ela se casou com o pai de um dos meus melhores amigos, Don Johnson, aos 74 anos de idade! Como ela não pode viajar ao Brasil, assim que cheguei da minha viagem de 2 semanas no meu próprio país, fomos eu e Don, visitá-la para contar os causos. Ela escutou com tanta atenção que parecia mergulhar e se deliciar em cada detalhe desse passeio. Enquanto eu ia contando, apenas com a imaginação, ela pôde nadar comigo num Igarapé no meio da floresta amazônica, presenciar a briga de dois jacarés a alguns metros de distância, ver uma das vistas mais espetaculares ao pé do Cristo Redentor no Rio de Janeiro, caminhar na mata atlântica e ver os micos pulando de galho em galho, comer uma comida fresquinha preparada com amor nos fogões de lenha das minas gerais, sentir o clima. Ao passo que eu ia contando íamos confirmando que o Brasil é um dos melhores e mais lindos países do mundo. Mas sua atenção foi redobrada quando eu e principalmente o Don falava do povo brasileiro, da minha família e dos meus amigos. Betty e Don me ajudaram a enxergar que das oportunidades que a vida tem me apresentado nenhuma delas se compara ao da presença ou da memória de meus queridos pais, avós, irmãos, tios, primos e amigos. Sou muito grato a todas essas pessoas por fazerem parte da minha vida! A vocês que ainda podem enxergar, fotos dessa experiência aqui, se ainda podem caminhar aproveitem para irem em um lugar que não tenha ido e se tiverem sorte talvez poderão ver uma flor e se nasceram com o privilégio do olfato poderão ainda sentir seu perfume! E se puderem levar essa flor a alguém que não tenha as mesmas oportunidades que você, você vai experimentar "amar" na sua forma mais simples. Boa sorte!

3 comentários:

  1. Betty realmente é uma pessoa encantadora!

    ResponderExcluir
  2. Gustavo, não pude conter as lágrimas ao ler seu depoimento sobre esta pessoa que conheci de perto, realmente indescretível, maravilhosa Deus está sempre colocando pessoas especiais em sua vida, porque você é muito especial,e sabe dar valor a toda sorte de oportunidades que lhe é dada. A sua sensibilidade é que faz a diferença, e tudo parece mais belo, mais real, mais verdadeiro.Que orgulhoso!!!!

    ResponderExcluir