segunda-feira, 25 de julho de 2011

A caminho de Oshkosh, dia 3: Minneapolis - Oshkosh


Flying in to Oshkosh (from Seattle) Jul2011


Do segundo para o terceiro dia fomos muito bem recebidos por Bob e sua esposa em Minneapolis. Após o jantar, eu e Felipe passamos o tempo planejando como chegar em Oshkosh durante o evento que tem o espaço aéreo mais movimentado do mundo. Acordamos cedo no dia seguinte para garantir a chegada antes que fechassem o espaço aéreo para as apresentações acrobáticas.  Com o carro cortesia do aeroporto provamos que não entendiamos nada de navegação terrestre, nos perdemos em Minneapolis para chegar ao aeroporto e lá se foi um tempo precioso. Após uma rápida checada do tempo, subimos no avião e decolamos rumo a Oshkosh. Nas duas horas e meia de voo fazíamos e refazíamos o briefing de chegada. O coração já batia forte de excitação mais iria bater muito mais forte em um dos momentos mais intensos que já passei. Com um sistema excepcionalmente bem organizado de aproximação  me encontrei entre várias aeronaves seguindo em fila para pouso. O tráfego é tão intenso que a 30 milhas do aeroporto temos que desligar o transponder para evitar interferências e não podemos responder os comandos pelo rádio, apenas confirmar balançando as asas. Os controladores direcionavam o trafego aéreo falando rapidamente e identificando as aeronaves pela posição que era bem complicado já que estávamos bem perto uns dos outros. Seguir aquela fila com uns 10 aviões na minha frente me fez suar bastante, a adrenalina estava a mil e eu só pensava em fazer uma aproximação perfeita para pousar no ponto determinado pela torre. Como a pista é grande, cada avião pousa num ponto colorido diferente na pista, a ordem não é apenas pousar com segurança mas pousar no ponto, no meu caso era um ponto verde depois da metade da pista. Será que não era exigir demais de um recém brevetado como eu? Talvez, mas o importante é que respirei de alívio por igualar mais uma vez o número de pousos e decolagens do meu logbook, e dessa vez em Oshkosh. Mas a aventura continuava para o taxi, com um cartaz que tive que colocar na janela indicando meu destino (acampamento para aviação geral) no vidro do avião, fui sendo direcionado por dezenas de pessoas num labirinto com centenas de aeronaves estacionadas já com suas barracas de acampamento ao redor. Eu sinceramente não imaginava ver tantos aviões na minha vida. parece tudo tão mágico e impressionante que me senti chegando na copa do mundo de quadribol, quem leu Harry Potter sabe do que estou falando. Após ver acrobacias aéreas de tirar o folego como o de Mike Goulian e tantas outras atracões é difícil acreditar que terá muito mais pra ver nos próximos sete dias. Fotos

Nenhum comentário:

Postar um comentário